Não importa o custo, o esforço ou o sacrifício; não se esqueça de que o Caminho existe, de que o Objetivo é atingível e está além de tudo o que você possa imaginar ou conceber agora; de que qualquer preço que tenha sido pago por sua obtenção parece insignificante quando ele é obtido; de que essa é a libertação final da escravidão dos grilhões da matéria e do sofrimento com ela relacionado. A sua obtenção é o serviço e o bem supremos que você pdoe prestar a seus irmãos atados nas correntes de Maia - Mouni Sadhu

Supraconsciência

"O tesouro escondido, não se revela ao  simples uso da palavra "saia", mas deve haver informações dignas de confiança, e escavação e remoção de pedras; do mesmo modo, a Verdade Pura, que transcende a operação do "MAIA", não é obtida sem a instrução dos que conhecem o Supremo, junto com reflexão, meditação, etc., e não por inferências ilógicas." - Viveka Chudamani


O desenvolvimento do Samadhi (Supraconsciência), transforma toda a consciência de um homem, os seus pontos de vista, os seus interesses, os seus empenhos e os seus objetivos. Ele mata a atitude egocêntrica e mostra ao homem a realidade da vida física, em toda a sua relatividade e com todas as suas imperfeições. Ele remove o espectro da morte, que é inseparável da existência num corpo. Então, como é natural, o homem não se considera uma incômoda e teórica combinação de "corpo e alma", sem ter nenhum conhecimento real a "alma", que opera apenas com teorizações emprestadas. 

Não, ao se atingir a Consciência Absoluta (no Samadhi), não há lugar para relatividade ou imperfeições. O próprio termo (Samadhi) pressupõe a superação de todas as coisas sujeitas ao tempo e ao espaço. Esta última frase merece uma análise mais profunda, se queremos formar ao menos uma concepção mental correta da Supraconsciência. Não há mais nada a ser obtido quando se atinge o Quarto Estado de Consciência, como Ramana maharshi o denomina. 

(...) Em nosso desenvolvimento interior rumo à Supraconsciência todos nada tem utilidade (livros e teorias), com exceção da nossa inequívoca experiência pessoal. Pois somente então sabemos, e não simplesmente repetimos algumas palavras alheias, que seriam então letras mortas ou pouco mais. 

Como dizia um velho conhecido finado amigo, reponsável pela Missão Ramakrishna na França:

"Em nosso trabalho espiritual (no qual o esforço pela Suprema consciência verdadeira é o principal) não devemos aceitar nenhuma afirmação, ouvida ou lida, sem um exame interior. É necessário um processo interior em nossa consciência, um processo que desperte em nós a intuição intelectual. Não se deve simplesmente repetir: Ramakrishna disse isso, Maharshi disse aqueilo, e o Sawami disse alguma outra coisa. Não devemos citar continuamente uma autoridade, o que pode nos servir apenas como refúgio. Fazer isso é um grande obstáculo ao progresso, se estivermos procurando apenas esse refúgio imaginário, em vez de trabalharmos arduamente. A iluminação deve vir de dentro de nós, ou seja, do nosso próprio Atman, despertado pelos nossos próprios esforços e pela nossa própria dor. Palavras, palestras de um Swami, leitura de um texto dos ensinamentos de Ramakrishna, etc., podem ser apenas meios externos que produzem uma indagação interior. Essa análise dentro de si mesmo é absolutamente necessária. Uma palestra sobre o Gita ou os Upanishads é apenas uma oportunidade para o despertar da inteligência espiritual em nós. Devemos atingir o estado de insatisfação, porque, se relaxarmos e ficarmos satisfeitos, nenhum progresso será possível". 

Essa citação pode mostrar-nos a atitude daqueles que atingiram a Supraconsciência por si próprios e que o conhecem pela experiência. 

Mouni Sadhu - Samadhi: A Supraconsciência do Futuro

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Quem já sentiu o Espírito Supremo não pode confundi-LO com nada, esquecê-LO ou negar SUA existência. Ó Mundo, se recusares a reconhecer SUA existência com voz unânime, irei abandoná-lo e ainda preservar a minha fé".

"A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada." - Albert Einstein

"Enfim, podemos continuar acreditando que somos criaturas localizadas, isoladas e condenadas, confinadas ao tempo e ao corpo, e separadas de todos os outros seres humanos. Ou então abrimos os olhos para a nossa NATUREZA IMPESSOAL e ONIPRESENTE e para a MENTE UNA da qual fazemos parte. Se escolhermos a primeira alternativa, nada nos salvará. Se porém, resolvermos despertar para este divino EU, estaremos frente a frente com um novo alvorecer." - Larry Dossey