Não importa o custo, o esforço ou o sacrifício; não se esqueça de que o Caminho existe, de que o Objetivo é atingível e está além de tudo o que você possa imaginar ou conceber agora; de que qualquer preço que tenha sido pago por sua obtenção parece insignificante quando ele é obtido; de que essa é a libertação final da escravidão dos grilhões da matéria e do sofrimento com ela relacionado. A sua obtenção é o serviço e o bem supremos que você pdoe prestar a seus irmãos atados nas correntes de Maia - Mouni Sadhu

O silêncio e o calor interior das emoções espirituais

O mais positivo aspecto do silêncio é proteger o "fogo interior". O silêncio guarda o calor interior das emoções espirituais. Esse calor interior é a vida do Espírito Santo dentro de nós. Assim, o silêncio é a disciplina pela qual o fogo interior de Deus é cultivado e mantido. 

Quando se esquece continuamente aberta a porta da sauna, o calor lá de dentro não demora a escapar por ela; do mesmo modo a alma, no desejo de dizer muitas coisas, dissipa a lembrança de Deus pela porta da fala, mesmo se tudo que disser for bom. Daí em diante, o intelecto, embora sem ideias apropriadas, despeja um tumulto de pensamentos confusos para todos que encontra, pois já não tem o Espírito Santo para manter o entendimento livre da fantasia. Ideias de valor sempre se esquivam da verbosidade e ficam alheias a confusão e a fantasia. Portanto, o silêncio oportuno é precioso, pois é nada menos que a mãe dos pensamentos mais sábios. 

Fizeram-nos acreditar que os sentimentos, as emoções e até os impulsos interiores de nossa alma têm de ser partilhados com os outros. Expressões como: "obrigado por partilhar isso comigo" ou "Foi bom partilhar isso com você" mostram que, na maior parte do tempo, a porta da sauna está aberta. De fato, os que preferem viver em seu canto e não expor sua vida interior muitas vezes criam apreensão e são considerados inibidos, anti-sociais ou simplesmente esquisitos. Mas questionemos se nossos modos profusos de tudo compartilhar não são mais compulsivos que virtuosos; se, em vez de criar comunidade, não tendem a nivelar nossa vida juntos. Com frequência chegamos a casa de volta de uma reunião com a sensação de que nos tiraram algo precioso ou de que pisaram em solo sagrado

A boca não é a porta pela qual entra qualquer mal. Os ouvidos e os olhos são essa porta. A boca é porta só de saída. O que precisa ser guardado é a vida do Espírito dentro de nós. Em especial nós que queremos dar testemunho da presença do Espírito de Deus no mundo precisamos cuidar do fogo interior com o máximo cuidado

Nossa principal tarefa é cuidar fielmente do fogo interior para que, quando realmente for necessário, ele ofereça calor e luz para os viajantes perdidos. Ninguém expressou isso com maior convicção que o pintor holandês Vincent Van Gogh:

Talvez haja um grande fogo em minha alma, contudo ninguém jamais vem aquecer-se nele, e os passantes só vêem uma fumacinha saindo pela chaminé e seguem seu caminho. Olhe aqui, o que é preciso fazer? É preciso cuidar do fogo interior, ser tal em si mesmo, esperar com paciência, mas com quanta impaciência a hora em que alguém venha e se sente —talvez para ficar? Que aquele que crê em Deus espere a hora que chegará mais cedo ou mais tarde.

Vincent Van Gogh conhecia a tentação de abrir todas as portas para que os passantes vissem o fogo e não apenas a fumaça saindo pela chaminé. Mas também percebeu que, se isso acontecesse, o fogo se extinguiria e ninguém encontraria calor e nova força. Sua vida é vigoroso exemplo de fidelidade ao fogo interior. Como pregadores, nossa maior tentação é usar palavras demais — elas enfraquecem nossa fé e nos deixam insensíveis. Mas o silêncio é disciplina sagrada, é guarda do Espírito Santo.

Henry J. M. Nouwen em, A espiritualidade do Deserto e o Ministério Contemporâneo 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Quem já sentiu o Espírito Supremo não pode confundi-LO com nada, esquecê-LO ou negar SUA existência. Ó Mundo, se recusares a reconhecer SUA existência com voz unânime, irei abandoná-lo e ainda preservar a minha fé".

"A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada." - Albert Einstein

"Enfim, podemos continuar acreditando que somos criaturas localizadas, isoladas e condenadas, confinadas ao tempo e ao corpo, e separadas de todos os outros seres humanos. Ou então abrimos os olhos para a nossa NATUREZA IMPESSOAL e ONIPRESENTE e para a MENTE UNA da qual fazemos parte. Se escolhermos a primeira alternativa, nada nos salvará. Se porém, resolvermos despertar para este divino EU, estaremos frente a frente com um novo alvorecer." - Larry Dossey