Não importa o custo, o esforço ou o sacrifício; não se esqueça de que o Caminho existe, de que o Objetivo é atingível e está além de tudo o que você possa imaginar ou conceber agora; de que qualquer preço que tenha sido pago por sua obtenção parece insignificante quando ele é obtido; de que essa é a libertação final da escravidão dos grilhões da matéria e do sofrimento com ela relacionado. A sua obtenção é o serviço e o bem supremos que você pdoe prestar a seus irmãos atados nas correntes de Maia - Mouni Sadhu

Características do estado de iluminação

O estado de iluminação é descrito como segue. Há uma consciência ininterrupta da unidade de Espírito e Deus. Não existe mais nenhuma identificação do Espírito com seus invólucros. Toda consciência de dualidade é obliterada. Há consciência pura, unificada. O homem que se encontra firmemente instalado nessa consciência é dito iluminado.

Diz-se que um homem está livre já nesta vida quando se instalou na iluminação. Sua bem-aventurança não tem fim. Para ele, este mundo de aparências foi quase esquecido.

Embora sua mente seja dissolvida em Deus, ele está plenamente desperto, livre da ignorância da vida no estado de vigília. Está plenamente cônscio, mas livre de qualquer desejo. Tal homem é considerado livre mesmo nesta vida.

Para ele, as tristezas deste mundo terminaram. Embora possua um corpo finito, ele permanece unido com o Infinito. Seu coração não conhece a ansiedade. Este homem é considerado livre já nesta vida.
Embora viva no corpo, este lhe parece uma simples sombra que o acompanha. Já não está perturbado pelo pensamento do "eu" e do "meu". Tais são as características do homem que é livre já nesta vida.

Ele não se preocupa em investigar o passado. Não está interessado em esquadrinhar o futuro. É indiferente ao presente. É assim que podes reconhecer o home que já é livre nesta vida.

O bem e o mal parecem existir no mundo. Pessoas e objetos parecem distinguir-se entre si. No entanto ele encara tudo do ponto de vista da igualdade, porque vê Deus em todas as coisas. É assim que podes reconhecer o homem que é livre nesta vida.

A boa e a má fortuna podem advir. Ele encara a ambas com indiferença e permanece insensível a elas. É assim que podes reconhecer o homem que já é livre nesta vida.

Como a sua mente está continuamente absorta na bem-aventurança de Deus, ele é incapaz de distinguir entre o interior e o exterior. É assim que podes reconhecer o homem que é livre já nesta vida.

A vida passa: ele a vê como um espectador desinteressado. Não se identifica com o corpo, os órgãos sensoriais, etc. Está acima da ideia do dever. É assim que podes reconhecer o homem que é livre já nesta vida.

Pela ajuda das vívidas palavras das Escrituras, ele realizou sua unidade com Deus. Ele não anseia por renascer. Assim é que podes reconhecer o homem que está livre já nesta vida.

Ele nunca se identifica com o corpo ou com os órgãos dos sentidos. Ele não tem o sentido de posse. Assim é que podes reconhecer o homem que está livre já nesta vida.

Através de sua visão transcendental, ele compreendeu que não há diferença entre o homem e Deus ou entre Deus e o universo — pois ele vê que Deus é tudo. Assim é que podes reconhecer o homem que está livre já nesta vida.

O homem santo pode honrá-lo, o homem mau pode insultá-lo — suas reações são as mesmas. Assim é que podes reconhecer o homem que é livre já nesta vida.

Rios deslizam para o oceano, mas o oceano não é perturbado. Os objetos sensoriais fluem pela sua mente, mas ele não sente reação, pois vive na consciência da Realidade una. Ele é verdadeiramente livre, já nesta vida.

Shankara
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Quem já sentiu o Espírito Supremo não pode confundi-LO com nada, esquecê-LO ou negar SUA existência. Ó Mundo, se recusares a reconhecer SUA existência com voz unânime, irei abandoná-lo e ainda preservar a minha fé".

"A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada." - Albert Einstein

"Enfim, podemos continuar acreditando que somos criaturas localizadas, isoladas e condenadas, confinadas ao tempo e ao corpo, e separadas de todos os outros seres humanos. Ou então abrimos os olhos para a nossa NATUREZA IMPESSOAL e ONIPRESENTE e para a MENTE UNA da qual fazemos parte. Se escolhermos a primeira alternativa, nada nos salvará. Se porém, resolvermos despertar para este divino EU, estaremos frente a frente com um novo alvorecer." - Larry Dossey