Não importa o custo, o esforço ou o sacrifício; não se esqueça de que o Caminho existe, de que o Objetivo é atingível e está além de tudo o que você possa imaginar ou conceber agora; de que qualquer preço que tenha sido pago por sua obtenção parece insignificante quando ele é obtido; de que essa é a libertação final da escravidão dos grilhões da matéria e do sofrimento com ela relacionado. A sua obtenção é o serviço e o bem supremos que você pdoe prestar a seus irmãos atados nas correntes de Maia - Mouni Sadhu

O Testemunhar imparcial

A Testemunha não se identifica com o ego nem com nenhum outro objeto mental, porque é a testemunha imparcial de todos os objetos. Porém ai precisamente é onde radica o problema, porque a Testemunha se mantém separada de todos os objetos que observa ou, em outras palavras, segue sendo uma forma muito sutil de dualismo sujeito/objeto. A Testemunha é um grande passo a frente e constitui uma fase imprescindível e necessária da meditação, porém, não é a última. Quando finalmente se desvanece, a alma ou a Testemunha acaba dissolvendo-se naquele que testemunha. Então desaparece a dualidade sujeito/objeto e só há pura consciência não dual pura, que é muito simples e muito evidente... Tudo segue discorrendo, instante atrás de instante, porém não há nada divorciado ou separado disso. O que vês fora é o mesmo que vês dentro. Não há separação nem fragmentação alguma entre sujeito e objeto, senão tão só um contínuo fluxo de experiência, perfeitamente clara, luminosa e aberta. Agora sou tudo o que aparece. 

Ken Wilber em, Graça e Coragem


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Quem já sentiu o Espírito Supremo não pode confundi-LO com nada, esquecê-LO ou negar SUA existência. Ó Mundo, se recusares a reconhecer SUA existência com voz unânime, irei abandoná-lo e ainda preservar a minha fé".

"A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada." - Albert Einstein

"Enfim, podemos continuar acreditando que somos criaturas localizadas, isoladas e condenadas, confinadas ao tempo e ao corpo, e separadas de todos os outros seres humanos. Ou então abrimos os olhos para a nossa NATUREZA IMPESSOAL e ONIPRESENTE e para a MENTE UNA da qual fazemos parte. Se escolhermos a primeira alternativa, nada nos salvará. Se porém, resolvermos despertar para este divino EU, estaremos frente a frente com um novo alvorecer." - Larry Dossey