Não importa o custo, o esforço ou o sacrifício; não se esqueça de que o Caminho existe, de que o Objetivo é atingível e está além de tudo o que você possa imaginar ou conceber agora; de que qualquer preço que tenha sido pago por sua obtenção parece insignificante quando ele é obtido; de que essa é a libertação final da escravidão dos grilhões da matéria e do sofrimento com ela relacionado. A sua obtenção é o serviço e o bem supremos que você pdoe prestar a seus irmãos atados nas correntes de Maia - Mouni Sadhu

A testemunha transpessoal e o Eu Transcendente

Comecemos advertindo as características do eu transcendente. É um centro e expansão da consciência que se acha criativamente desidentificado tanto da mente como do corpo, das emoções, dos pensamentos e dos sentimentos pessoais. De modo que, se queres começar a intuir esse eu transcendente que, embora encontrado em teu interior, vai mais além de ti, esse eu não é um eu e deves proceder do seguinte modo:

Começa a recitar lentamente e em silêncio, para ti mesmo, o que se segue, procurando dar-te conta o mais vividamente possível do significado de cada um dos seguintes enunciados.

Tenho um corpo, porém não sou meu corpo. Posso ver e sentir meu corpo, porém o que se pode ver e sentir não é o autêntico Ser que vê. Meu corpo pode estar cansado ou excitado, enfermo ou sadio, sentir-se ligeiro ou pesado, porém nada disso tem a ver com meu eu interior. Tenho um corpo, porém, não sou meu corpo. 

Tenho desejos, porém, não sou meus desejos. Posso conhecer meus desejos, mas o que pode conhecer-se não é o autêntico Conhecedor. Os desejos vão e veem, flutuam em minha consciência, mas não afetam o meu interior. Tenho desejos, porém, não sou meus desejos. 

Tenho  emoções, porém, não sou minhas emoções. 

Posso perceber e sentir minhas emoções, porém, o que pode perceber-se e sentir-se não é o autêntico Percebedor. As emoções passam através de mim, porém, não afetam o meu interior. Tenho emoções, porém, não sou minhas emoções. 

Tenho pensamentos, porém, não sou meus pensamentos. Posso conhecer e intuir meus pensamentos e o que pode ser conhecido não é o autêntico Conhecedor. Os pensamentos chegam até mim e logo me abandonam, porém, não afetam o meu eu interior. Tenho pensamentos, porém, não sou meus pensamentos. 

Feito isto — que pode ser repetido quantas vezes queiras —, afirma o mais concretamente que possas: "Sou o que resta de tudo isso, um puro centro de percepção consciente, uma Testemunha imóvel de todos estes pensamentos, emoções, sentimentos e desejos". 

A compreensão que proporciona este exercício irá aprofundando-se com a prática e não tardarás em notar o surgimento de mudanças fundamentais em tua sensação de identidade. É possível, por exemplo, que comeces então a intuir uma profunda sensação interior de liberdade, leveza, soltura e estabilidade. Essa fonte, esse "centro do ciclone", manterá sua serena lucidez ainda que em meio dos furiosos ventos da angústia e do sofrimento que frequentemente tendem a desatar a seu redor. O descobrimento desta testemunha central se assemelha a afastar-se das ondas que varrem a superfície do oceano para sumir-se em suas tranquilas e seguras profundidades. Quem sabe, no começo, não chegues a aprofundar grande coisa nas agitadas águas da emoção, mas a prática acabará ensinando-te o modo de mergulhar nas profundidades da alma até que, tendo ido fundo, possas contemplar atentamente e com tranquilo desapego o torvelinho em que antes te achavas preso. 

Não estou falando aqui da pura consciência de unidade, senão tão somente de ser a testemunha transpessoal. Na consciência de unidade, até a própria testemunha transpessoal acaba dissolvendo-se no testemunhado. Mas antes que tal coisa possa ocorrer é necessário descobrir a testemunha transpessoal, que então atua como uma espécie de "trampolim" que facilita o salto à consciência de unidade. E só é possível acessar a essa testemunha transpessoal desidentificando-nos e, desse modo, transcendendo todos os objetos concretos, sejam eles mentais, emocionais ou físicos.

Ken Wilber em, A Pura Consciência do Ser
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Quem já sentiu o Espírito Supremo não pode confundi-LO com nada, esquecê-LO ou negar SUA existência. Ó Mundo, se recusares a reconhecer SUA existência com voz unânime, irei abandoná-lo e ainda preservar a minha fé".

"A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada." - Albert Einstein

"Enfim, podemos continuar acreditando que somos criaturas localizadas, isoladas e condenadas, confinadas ao tempo e ao corpo, e separadas de todos os outros seres humanos. Ou então abrimos os olhos para a nossa NATUREZA IMPESSOAL e ONIPRESENTE e para a MENTE UNA da qual fazemos parte. Se escolhermos a primeira alternativa, nada nos salvará. Se porém, resolvermos despertar para este divino EU, estaremos frente a frente com um novo alvorecer." - Larry Dossey