Não importa o custo, o esforço ou o sacrifício; não se esqueça de que o Caminho existe, de que o Objetivo é atingível e está além de tudo o que você possa imaginar ou conceber agora; de que qualquer preço que tenha sido pago por sua obtenção parece insignificante quando ele é obtido; de que essa é a libertação final da escravidão dos grilhões da matéria e do sofrimento com ela relacionado. A sua obtenção é o serviço e o bem supremos que você pdoe prestar a seus irmãos atados nas correntes de Maia - Mouni Sadhu

O clamor vital da natureza humana

"O reino de Deus não vem com observâncias (externas), nem se pode dizer: ei-lo aqui! ei-lo acolá! O reino de Deus está dentro de vós".
Isto quer dizer que quem não descobre o reino de Deus dentro de si mesmo não presenciará jamais o seu advento, não entrará no reino de Deus — assim como a árvore não vem de fora mas de dentro da semente; essa semente é a própria árvore em potência, assim como a árvore é a própria semente atualizada. O reino de Deus não tem nenhum "aqui" ou "acolá", não vem de fora em virtude de certas "observâncias" legais ou formalidades rituais... O reino de Deus não é uma espécie de prêmio ou recompensa que se confira ou outorgue ao homem pela fiel observância de certas leis — mas é antes o fruto maduro duma revolução intrínseca do próprio ser humano que descobre dentro de si a "imagem e semelhança de Deus", o "espírito de Deus que nele habita". 

Sendo que o reino de Deus está latente em cada homem, como a potência está no ato, e o ato na potência, deve o homem viver permanentemente esta prece: "Venha o teu reino!" Este silencioso clamor vital da natureza humana é como a luz solar atualizando paulatinamente a vida potencial da semente e transformando-a na verdejante maravilha da planta. Não é a luz solar externa que cria a vida, mas é a condição necessária e indispensável para que a vida dormente desperte e a planta passe a ser atualmente o que já é potencialmente. 

O que os grandes gênios filosóficos — Sócrates, Platão, os Neo-platônicos de Alexandria, os metafísicos do Egito e da Índia, a alma solitária de Spinoza e tantos outros — procuraram definir analítica e intelectualmente, sabia-o Jesus numa grandiosa e espontânea síntese intuitiva: que Deus é a eterna essência de todas as coisas. O que os remontados gênios filosóficos excogitaram laboriosamente, possui-o e vive-o naturalmente, o gênio místico do Nazareno, com a leveza e facilidade de consumado artista. 

Huberto Rohden em, Metafísica do Cristianismo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Quem já sentiu o Espírito Supremo não pode confundi-LO com nada, esquecê-LO ou negar SUA existência. Ó Mundo, se recusares a reconhecer SUA existência com voz unânime, irei abandoná-lo e ainda preservar a minha fé".

"A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada." - Albert Einstein

"Enfim, podemos continuar acreditando que somos criaturas localizadas, isoladas e condenadas, confinadas ao tempo e ao corpo, e separadas de todos os outros seres humanos. Ou então abrimos os olhos para a nossa NATUREZA IMPESSOAL e ONIPRESENTE e para a MENTE UNA da qual fazemos parte. Se escolhermos a primeira alternativa, nada nos salvará. Se porém, resolvermos despertar para este divino EU, estaremos frente a frente com um novo alvorecer." - Larry Dossey