Não importa o custo, o esforço ou o sacrifício; não se esqueça de que o Caminho existe, de que o Objetivo é atingível e está além de tudo o que você possa imaginar ou conceber agora; de que qualquer preço que tenha sido pago por sua obtenção parece insignificante quando ele é obtido; de que essa é a libertação final da escravidão dos grilhões da matéria e do sofrimento com ela relacionado. A sua obtenção é o serviço e o bem supremos que você pdoe prestar a seus irmãos atados nas correntes de Maia - Mouni Sadhu

O novo ser humano é integral

Existe uma nova aventura aqui, uma nova política aqui e até mesmo uma nova revolução, aguardando no horizonte. Você a está percebendo, não está?
 Novo trabalho a ser feito, novas epopéias a serem narradas, novo fundamento a ser descoberto; e recônditos do coração a serem revelados quando ele está repleto demais para falar, exultante demais para ver, infinito demais para conter, eterno demais para tocar, mas simplesmente porque está aqui e agora, mais perto de você do que seu próprio nariz, mas dentro de você do que seus próprios pensamentos e mais próximo do Espírito do que todos eles, esse interior de Você que está agora lendo esta gina, olhando para o mundo e perguntando o que tudo isso significa, quando esse mesmo “o que tudo isso significa” é você. Não o você que pode ser visto, mas o Você que está vendo.
 O observador em você, a Testemunha desta página e do mundo inteiro ao seu redor: ele brilha e cintila com uma alegria esfuziante diante da liberdade de todo e qualquer momento, uma liberdade ardente e sublime que se liberta para o infinito a cada expiração, provocando arrepios em sua coluna com sua radiante intensidade ao deixar seu corpo, levando dádivas de infinita compaixão e perfeição radical e amor radiante, dádivas tão excessivamente imensas que todo o seu corpo explodiria se tentasse contê-las. Você pode sentir agora essa Plenitude que é sua instigando-o, tentando se expandir, essa Liberdade que é sua, se você apenas se colocar de lado e permitir que ela o tome de assalto. E é o que ela faz se você descansar como Testemunha disso e de todos os mundos que facilmente surgem em sua própria percepção, mundos que você mesmo cria a cada nascer e pôr-do-sol, quando a órbita luminosa atravessa a vastidão do céu de seu próprio vazio transparente. A grande e radiante vastidão descerrada mudaram, o ambiente ao meu redor mudou, mas percepção do “Eu Sou” está sempre-presente, radiante, aberta, vazia, clara, ampla, transparente, livre. Os objetos mudaram, mas não a percepção desse “Eu sou” sem forma. Essa óbvia e presente percepção do “Eu sou” está presente agora como esteve presente cinco horas atrás.
 O que esteve presente cinco anos atrás?
 A percepção do “Eu sou”. Muitos objetos apareceram e desapareceram, tantos sentimentos vieram e se foram, muitos pensamentos surgiram e foram embora, muitos dramas e terrores e amores e ódios vieram, ficaram por um tempo e se foram. Mas uma coisa não veio nem foi embora. O que é essa coisa? Qual é a única coisa presente em sua percepção neste exato momento que você se lembra que esteve presente cinco anos atrás? Essa percepção intemporal sempre presente do “Eu sou” está presente agora como esteve presente cinco anos atrás.
 O que esteve presente cinco séculos atrás?
 Tudo que está sempre presente é a percepção do “Eu sou”. Toda pessoa tem essa mesma percepção de “Eu sou” – porque ele não é um corpo, não é um pensamento, não é um objeto, não é o ambiente circundante, não é nada quer possa ser visto, mas é antes Aquele que , o Observador sempre presente, a Testemunha constante, aberta e vazia de tudo o que está surgindo, em toda e qualquer pessoa, em qualquer mundo, lugar e tempo em todos os mundos até o fim dos tempos, existe apenas e sempre essa óbvia e imediata percepção do “Eu sou”. O que mais você poderia conhecer? O que mais poderia haver para conhecer? Existe apenas e sempre essa percepção sempre presente do “Eu sou”, radiante que conhece a si próprio, sente e transcende a si próprio, presente tanto agora, como cinco minutos, cinco horas e cinco séculos atrás.
Cinco milênios atrás?
 Antes de Abraão existir, EU SOU. Antes de o universo existir, EU SOU. Esta é a minha Face original, a face que eu tinha antes de meus pais nascerem, a face que eu tinha antes de o universo nascer, a Face que eu tive por toda a eternidade até ter decidido entrar nesta brincadeira de esconde-esconde e me perder nos objetos criados por mim mesmo.
Eu NUNCA mais vou fingir que não conheço ou não sinto a minha própria percepção sempre presente do “Eu sou”.
 E com isso, a brincadeira chega ao fim. Milhões de pensamentos apareceram e desapareceram, milhões de sentimentos vieram e se desvaneceram, milhões de objetos surgiram e se foram. Mas uma única coisa não apareceu e uma única coisa não desapareceu: o grande Não-nascido e o grande Imortal, que jamais entra nem deixa a corrente do tempo, uma pura Presença fora do tempo, flutuando na eternidade. Eu sou esse grande e óbvioEu sou”, que conhece a si mesmo, valida a si mesmo e libera a si mesmo.
 Antes de Abraão existir, EU SOU.
EU SOU não é nada mais do que o Espírito na primeira pessoa, o Ser último, sublime e radiante de tudo e de todo o Cosmos, presente em mim, em você, nele, nela e neles – como a percepção sempre presente do “Eu sou” que todo e cada um de nós sente.
 Porque em todos os universos conhecidos, o número total de “Eu sou” é apenas um.
 Descanse sempre nessa percepção sempre presente do “Eu sou”, a mesma percepção do “Eu sou” que está sentindo neste exato momento, que é o próprio Espírito Não-nascido brilhando em você e através de você. Assuma também a sua identidade pessoalcomo este ou aquele objeto, este ou aquele eu ou esta ou aquela coisa –, permanecendo sempre no Fundamento de Tudo o que Existe, como essa grande e totalmente óbvia percepção sempre presente do “Eu sou”, e levante-se para prosseguir seu dia, no universo que essa percepção sempre presente do “Eu sou” criou.
 É um novo dia, um novo alvorecer, um novo homem e uma nova mulher. O novo ser humano, assim como o novo mundo, é integral.

Ken Wilber
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Quem já sentiu o Espírito Supremo não pode confundi-LO com nada, esquecê-LO ou negar SUA existência. Ó Mundo, se recusares a reconhecer SUA existência com voz unânime, irei abandoná-lo e ainda preservar a minha fé".

"A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada." - Albert Einstein

"Enfim, podemos continuar acreditando que somos criaturas localizadas, isoladas e condenadas, confinadas ao tempo e ao corpo, e separadas de todos os outros seres humanos. Ou então abrimos os olhos para a nossa NATUREZA IMPESSOAL e ONIPRESENTE e para a MENTE UNA da qual fazemos parte. Se escolhermos a primeira alternativa, nada nos salvará. Se porém, resolvermos despertar para este divino EU, estaremos frente a frente com um novo alvorecer." - Larry Dossey